A “contenção salarial”

Enquanto, segundo a Comissão Europeia, o poder de compra dos trabalhadores portugueses registou, em 2006, a maior descida dos últimos 22 anos, a CMVM anunciou que, entre 2000 e 2005, os vencimentos dos administradores das empresas cotadas em bolsa duplicaram (e nas empresas do PSI 20 mais que triplicaram!).

Isto é, enquanto, estes senhores, pagam aos seus trabalhadores dos mais baixos salários da Europa mesmo da Europa a 25 (e todos os dias reclamam, sob a batuta do governador do Banco de Portugal, por “contenção salarial” e “flexibilidade”, a que o governo chama pomposamente de flexi-segurança), esses administradores duplicam, ou mais que triplicam, os próprios vencimentos, vampirizando os accionistas e metendo ao bolso qualquer coisa como 23,9% (!) dos lucros das empresas.

Recorde-se que o Estado é accionista maioritário ou de referência em muitas dessas empresas, como a GALP, a EDP, a AdP, a REN ou a PT, cujas administrações albergam “boys” e “girls” vindos directamente da política partidária (cada um atribuindo-se a si mesmo, em média, 3,5 milhões de euros por ano!). Se isto não é um ultraje, talvez os governos que elegemos (e o actual é, presumivelmente, socialista) nos possam explicar o que é um ultraje. O mais certo, porém, é que se calem e continuem a pedir “sacrifícios” aos portugueses. A que portugueses?

Enquanto os 10% de portugueses mais ricos são cada vez mais ricos, os 10% de portugueses mais pobres estão cada vez mais pobres.
Os dados estão aí, claros, contundentes, agressivos: 2 milhões de portugueses no limiar da pobreza.

Como dizia o Grande Zeca Afonso:
Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada

Anúncios
Explore posts in the same categories: ... da Política & sociedade

2 comentários em “A “contenção salarial””

  1. Vitor Piedade Says:

    Sim, e faltou o mais importante ?? Onde é que vemos vagas de emprego para Administrador ????
    Depois eu arrumarei os meus assessores… rsrsrs


  2. Olá Zé!

    Observo esta sua narrativa sobre a situação dos salários, e tenho a impressão de que estou vendo descrita a nossa realidade aqui no Brasil, porque, guardadas as devidas proporções e diferenças, é a mesma coisa, e então me pergunto, terá sido fruto de herança? Sim, porque foram os portuguêses que nos colonizaram, e somos seus descendentes, em parte porque também sofremos influências dos outros povos que aqui estiveram. Ou será que este mal é generalizado para a maioria dos povos de outros países, e que esta tendência será a do gênero humano, racional, que é o uníco ser no Universo que transgride as leis universais, e justamente o “ser racional”.
    Se os animais que não são racionais, cumprem o plano da Inteligência Universal, e não cometem as injustiças com os seus semelhantes, e não possuem racionalidade, será que a racionalidade é sempre algo benéfico, ou será que a racionalidade é quem nos pre-determina, pelo livre=arbitrio, a cometer as tais atrocidades? Então, deveríamos rever o modo como utilizamos a nossa racionalidade, para que esta ficasse sim sob a orientação e guia de uma Inteligência Superior, com a qual estivéssemos conetcados todo o tempo, tal qual os animais?

    Muito bom, como sempre o seu texto, e sempre serei sua leitora e admiradora.

    Beijos

    Gwen


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: